20130315

Vida Religiosa que anima a Igreja

Todo cristão é chamado à santidade, mas as maneiras de viver a vontade do Pai são diferentes. Uns são chamados ao sacerdócio ministerial, outros a vida matrimonial, a vida laical, e outros á vida religiosa! Deus escolhe do meio de seu povo mulheres e homens generosos a seguir o Cristo, pobre (cf.2 Cor 8,9), casto (cf. Mt 19,12) e obediente(cf. Jo 4,34), pessoas chamadas a deixar tudo: família, bens, amigos e se entregar LIVREMENTE ao serviço do Reino e dos irmãos.


A vida religiosa é um grande dom pra Santa Igreja, onde cada consagrado é chamado a viver em “só coração e uma só alma” com os irmãos de comunidade (cf.At 4,32) eles são sinais para o mundo (Cf. MT 5, 13-16) , pois se configuram mais perfeitamente a Nosso Senhor com uma vida de oração,trabalho, estudo,fraternidade e caridade.Elegendo estes homens e mulheres para esta vocação ‘específica’ ,Deus ampara seu povo á caminho da Jerusalém celeste. Esta vocação se concretiza quando o candidato responde a voz do amado, dentro de uma Ordem, Congregação ou Instituto religioso de acordo com um CARISMA próprio dado por Deus, que é um dom, um presente.

Este modo de viver a santidade surgiu há muitos séculos, com homens e mulheres desejosos de uma experiência com Deus mais profunda. Foram surgindo eremitas (pessoas que viviam isolados da sociedade no deserto), alguns conhecidos “padres do deserto”. Quando estes eremitas se juntavam numa mesma comunidade surgiu o que chamamos de monasticismo cenobita.

Surgiram os grandes mosteiros, alguns destes mosteiros se uniram por determinação papal formando Ordens religiosas como os Agostinianos, que foi o agrupamento de diversos mosteiros que viviam a regra de Santo Agostinho de Hipona. No século XIII Deus suscitou as Ordens mendicantes através de um estilo de vida religiosa mais próxima do povo e em defesa da fé católica. Após a reforma protestante houve o surgimento das ordens contrarreformista como, por exemplo, a Companhia de Jesus fundada por Santo Inácio de Loyola. Nos dias atuais esta é a maior Ordem da Igreja a Ordem na qual pertence nosso Sumo Pontífice o Papa Francisco.

Ao longo dos séculos foram surgindo centenas de Congregações, cada uma com seu “jeito de ser”, isto é, seu carisma, sua espiritualidade e seu modo de trabalhar sendo que algumas são de vida contemplativa e outras de vida ativa. Surgiram Congregações como: Redentoristas, Dehonianos, Amigonianos,Orionitas, Pavonianos, Paulinas, Sacramentinas e outras centenas que não cabe aqui enumerar. Deus a cada tempo responde as necessidades de Sua Igreja! Ele não nos desampara.

 Desde o século passado a vida consagrada está vivendo um novo tempo, são as chamadas “Novas Comunidades” uma ‘nova primavera para a Igreja ‘. Muitas Fraternidades e Comunidades de consagrados surgem a cada momento , no nosso país este número impressiona.


“A vida consagrada, profundamente arraigada nos exemplos e ensinamentos de Cristo Senhor, é um dom de Deus Pai á sua Igreja, por meio do Espírito.”

Exortação Apostólica Vita Consecrata do Beato João Paulo II.

É a obra do Pai, que se realiza sob a ação do Espírito Santo, para que o seguimento do Filho continue motivando a muitos a deixar tudo e ouvir a voz dele que diz:  ‘‘VEM E SEGUE-ME”.  (Mt 19, 21). 

Por: Brendo Silva

Fontes:
-Bíblia Sagrada Ave Maria.
-Exortação Apostólica Pós-Sinodal VITA CONSECRATA:
-Comunidade Shalom:
http://www.comshalom.org/formacao/exibir.php?form_id=1300



Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário