20130912

Série RCC II: Canção Nova

O que é a Canção Nova?

A Canção Nova é uma comunidade católica, fundada no Brasil, pelo Monsenhor Jonas Abib, no ano de 1978, seguindo a roupagem de Renovação Carismática Católica. Ela já possui uma grande extensão territorial em outros países como Chipre, EUA, França, Grécia, Índia, Israel, Itália, Paraguai e Portugal, apesar de ter como sede a cidade de Cachoeira Paulista e sido fundada em Lorena, ambas no interior de São Paulo, contendo inclusive um aparato de sistema de rádio e televisão, promovendo de diferentes formas a sua "evangelização católica". O lema desta comunidade é Euntes Ergo Evangelizare, que significa, Ide, pois, evangelizar.

O Momento do Reconhecimento Pontifício da Comunidade?

O Reconhecimento, se deu em 3 de novembro de 2008 e está prestes a fazer 5 anos, apesar de que desde 1995 já era reconhecida a nível diocesano e depois, chegou ao reconhecimento mundial. A internacionalização é o requisito mais importante para tal ato de investidura da Santa Sé, que tem como intuito propagar novas frentes de propagação e estimulação da fé católica.

É bem sabido que entre as barbas de molho do pessoal do Vaticano, esse tipo de comunidade passa por exames minuciosos e severos, que não podem ser levados a pão e água. Então devemos analisar isso como mais uma vitória particular do movimento RCC. Acabou sendo a segunda comunidade católica nacional a ter todos os Estatutos devidamente aprovados pelo Conselho da Santa Sé, antes dela, em meados de março de 2007, a comunidade Shalom, fundada por Moysés Azevedo, havia recebido, com as devidas honras do pioneirismo, há receber tal reconhecimento.

Ponderações Negativas Sobre a Aprovação:

Se há algo que a Santa Sé, se equivoca, mesmo aprovando esta Comunidade é que o conservadorismo não tolera, nem hoje, nem nunca, a questão do carismatismo, pois ela vem de um berço protestante, além de acabar transformando a Missa numa grande folia de exageros histéricos, com uma espécie de animação muito além do necessário para tal momento ecumênico. A missa é um momento de troca de conhecimento e de fé, não deve ser ponderada como um momento diferente disso e essa exacerbação da veia carismática pode trazer problemas na manutenção dos fiéis mais estudiosos e engajados.

O reconhecimento da comunidade não significa que a RCC não contenha erros contra a Fé. Tal atitude do então Papa Bento XVI não irá tornar o modelo carismático como um idioma angelical. Ele continuará protestante, ainda que tenha uma determinada aceitação. Contudo, devemos lembrar que se o próprio Cristo disse: "Eu vim trazer a divisão” (Mt 10,35), é por que nem toda divisão pode vir a ser algo ruim, assim como nem toda união é considerada boa.

Ponderações Positivas Sobre a Aprovação:

Se analisarmos que a palavra de fé e a palavra de Cristo estão sendo propagadas, ainda que haja uma dissolução a mais dos séquitos da Igreja Católica Apostólica Romana, é bem sabido que estamos diante de uma manifestação interessante por parte da Santa Sé que é a análise compreensiva destes novos movimentos religiosos. Ainda que se utilizem de diversos métodos para fazer a devida filtragem do que é aprovado ou não, toda controvérsia, no que tange aos laços da religião cristã, deve ser analisada, no mínimo com um pouco de parcimônia.

Um dos grandes motivadores e apreciadores da CN é o Pe. Paulo Ricardo que, pela sua didática, dialética e compromisso para com os cristãos, acaba sendo um agregador de forças em prol da fé, debulhando boa parte de fiéis que se mantêm controversos a tal instituição. Por último, devemos lembrar que os movimentos de renovação religiosa devem ser levados em consideração, pois, eles não estão aí à toa, firmes e fortes desde sua instalação. São 35 de uma comunidade instaurada, é válida e bem-vinda se for para adicionar sangue novo, que seja feito com bom senso.

Minha Ponderação Sobre a Aprovação:

Acho que toda vez que a Santa Sé, compreende suas urgências em mudar algumas políticas de análise de inserção de comunidades e interessados em trazer a fé de volta para o coração dos seres humanos, eu não teria como ser contra, seria de certa forma um desmazelo, como católico e como ser humano, ignorar os atos convictos de boa intenção genuína. Como já havia denotado anteriormente, nenhuma comunidade se mantém por mais de 30 anos por ser incapaz de trazer a luz divina para os corações humanos. Sejamos honestos, um bom trabalho deve estar sendo feito por ali, certo?


Outra ponderação que acho muito interessante é perceber a capacidade da comunidade em utilizar os adventos tecnológicos de forma inteligente e trazer os fiéis e criar um rebanho consciente. Contudo, como sou católico parcialmente conservador e conhecendo muitos conservadores, percebo que a Missa carismática ainda é algo difícil de se digerir, ainda mais em se tratando de uma postura essencialmente protestante. Apesar disso, acho que toda a capacidade construtiva e hábil de criar a sinergia da fé entre as pessoas faz com que possamos ter seres humanos íntegros e mais ligados a fé, que é de importância fundamental para que se mantenha o bem estar da mente, da alma e do coração.

Por: Leon Bravo.
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário