20131009

Gabriele Amorth - III - Situações e coisas que facilitam as Possessões Demoníacas

O padre Amorth avisa que a glossalia, ou seja, a fala de línguas desconhecidas a própria pessoa, em momento de possessão é um fato. Mas ele diz que isso pode também ser a possibilidade de um transtorno psicológico, só que em muitas das situações que havia visto, eram pessoas que tentaram vários psiquiatras e as ações destes, foram ineficazes. Inclusive, o contato de cartomantes e bruxos, verdadeiro ou charlatães, nesta situação ruim, como tentativa desesperada de resolver o problema somente o piora. 

Normalmente, são pessoas cujas atitudes mudaram em determinado momento, se tornam avessas à igreja, cospem em imagens sagradas e costuram posicionamentos controversos ao bom senso e valores morais básicos. Quando são abençoadas, se sentem muito mal. E há inclusive situações que ele viveu como exorcista que não houve nenhum médico que pudesse fazer uma análise mínima dos ocorridos. 

Contudo, torna-se importante saber que a possessão, depois de diagnosticada, deve ser invocada e perturbada para que saia de seu esconderijo. Os demônios mentem, da mesma forma que falam verdades, distorcidas, para causar fúria diante daqueles que tentam colaborar com o processo de exorcismo, por isso que não é qualquer pessoa que se encontra apta a fazê-lo. Mas como Deus está conosco, por mais difícil que possa lidar com a situação. É fato de que não é uma tarefa fácil, mas que alguém deve tomar como dever para salvar estas almas que se encontram perdidas de si, para que a paz reine soberana novamente nelas. 

Uma das coisas que mais sinistras e estranhas é a forma que o demônio cospe objetos que até então não havia tido contato anteriormente. Como se eles materializassem porque em muitas das situações, os médicos faziam check-ups nas pessoas possuídas e nesses exames nada aparecia em seu organismo, contudo, ele viu possuídos cuspindo pregos, lâminas de barbear e objetos metálicos de vários tipos e até mesmo, ao longo dessas possessões e exorcismos, era praticamente impossível de que as pessoas tivessem contatos com tais objetos. Outra forma que torna a coisa meio difícil de compreender é que os materiais expelidos nunca estão contidos de saliva, saem secos da boca das pessoas possuídas. 

O exorcista diz que uma das práticas facilitadoras da possessão são o envenenamento através de doces e alimentos com itens como pó de ossos de mortos, sangue de menstruação ou de animais roubados, em especial: cães, ratos e rãs que são injetados nos alimentos. Outra forma também corriqueira é a xícara de café onde se utilizam um desses itens citados acima e que tais situações podem levar anos de exorcismo para que a pessoa seja curada de forma definitiva de uma possessão, lembrando que os exorcistas pedem que haja a companhia dos parentes e de psicólogos ou psiquiatras durante o tratamento. 

Por: Leon Bravo
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário