20131007

Série Os Santos e suas histórias IV: São Pe. Pio Parte III

Amados paz e bem a todos, como dizem todos os franciscanos, peço desculpa a todos pela demora, hoje falei a respeito dos estigmas de São Padre Pio.

Padre Pio recebeu seu primeiro estigma aos 23 anos de idade, depois da recuperação de sua saúde em casa, tendo o desejo de não chamar a atenção para si, suplicou a Deus para tirar os sinais das chagas de Cristo, Deus atendeu o seu pedido e os sinais dos estigmas saíram.

Em Setembro de 1918, depois de ser transferido para um convento muito pobre e distante o Monastério de Nossa Senhora da Graça em San Giovanni Rotondo, Padre Pio recebeu os estigmas novamente.

Algumas cartas do Padre Pio falando a respeito das chagas

[Carta 44 - Padre Pio a Padre Bento.

Pietrelcina, 08 de setembro de 1911 

[Padre Pio com pouco mais de 24 anos de idade e 1 de sacerdócio].

... ”Ontem de tarde aconteceu-me uma coisa que não sei explicar e nem compreender. No meio da palma das mãos apareceu um pouco de vermelho quase do tamanho duma moeda, acompanhado também de uma forte e aguda dor no meio daquele pouco de vermelho. Esta dor era mais sensível no meio da mão esquerda, de tal forma que permanece até agora. Também debaixo dos pés sinto um pouco de dor.

Este fenômeno há quase um ano que se repete (logo, os estigmas tiveram início em setembro de 1910), porém agora, já fazia algum tempo que não o sentia. Não se inquiete, porém, se agora, pela primeira vez, lho revelo; porque fui sempre vencido por aquela maldita vergonha. Também agora, se soubesse quanta violência tive que me fazer para dizer-lho! Muitas coisas teria para dizer-lhe, mas falta-me a palavra; digo-lhe somente que as batidas do coração, quando me encontro com Jesus Sacramentado, são muito fortes. Parece-me, às vezes, que queira até saltar-me do peito.

No altar, às vezes, sinto-me tomado de tal calor em toda a pessoa, que não consigo descrever-lho. A vista especialmente parece-me que queira transformar-se toda em fogo. Que sinais sejam esses, padre meu, ignoro-o”... (Epistolario. I, p. 234).

Carta 69 – Padre Pio a Padre Agostinho.

Pietrelcina, 21 de março de 1912.

... “Desde quinta-feira de tarde até sábado, como também na terça-feira é uma tragédia dolorosa para mim. O coração, as mãos e os pés parecem-me que são traspassados por uma espada; tal é a dor que sinto” ... [Nota: aqui Padre Pio não fala expressamente de estigmas, mas as dores estão localizadas exatamente no local dos estigmas]. (Epistolário I, p. 267).

Carta 287 – Padre Agostinho a Padre Pio.

S. Marco la Catola, 30 de setembro de 1915

[ Padre Pio com pouco mais de 28 anos de idade. - Padre Agostinho faz-lhe três perguntas]. 

... “Diz-me: 1º. Desde quando Jesus começou a favorecer-te com celestes visões? 2º. Concedeu-te o dom inefável dos santos estigmas, embora invisíveis? 3º. Fez-te provar e quantas vezes a sua coroação de espinhos e a sua flagelação? Julgo não parecer curioso, pois Jesus vê minha intenção. Tu deves rezar a Ele e responder-me e, embora eu esteja resignado a quanto Jesus quer, insisto e peço uma resposta” ... (Epistolario I, p. 659).

Carta 288 – Padre Pio a Padre Agostinho

Pietrelcina, 4 de outubro de 1915.
[Padre Pio esquiva-se de responder àquelas perguntas].

... “Perdoai-me se não apresento resposta àquelas interrogações que me tendes feito na última vossa. Para dizer-vos a verdade, sinto uma grande repugnância ao escrever sobre essas coisas. Não se poderia, ó padre, contemporizar de momento em dar satisfação às 
vossas perguntas?” ... (Epistolario I , p. 663).

Carta 289 - Padre Agostinho a Padre Pio 

S.Marco la Catola, 07 de outubro de 1915.

[Padre Agostinho insiste em obter resposta].

... “Pedes-me, enfim, para contemporizar nas respostas aos meus quesitos. Para dizer a verdade, eu sinto no coração o dever de insistir: creio que esta insistência não desagradará a Jesus, nem deves continuar sentindo repugnância em obedecer, porque, não duvides, tudo redundará para glória de Deus e salvação nossa. Caso o desejes, responde-me por meio duma carta reservada: Jesus me fará manter o segredo; tu sabes que nunca falei a não ser a almas às quais Jesus quer e quando Jesus o quer. Porque, então, tanta relutância? Tu deves ser sincero, deves dizer-me tudo: melhor, roga a Jesus que te faça revelar-me também qualquer outra coisa que eu não sei ou não me ocorre pedir-te. Jesus te ajude e te abençoe” ... (Epistolario. I, p. 665 s). 

Carta 290 - Padre Pio a Padre Agostinho.

Pietrelcina, 10 de outubro de 1915.

[ Padre Pio enfim responde às perguntas do diretor espiritual].

...”Em vossa decidida vontade de saber ou melhor de receber resposta àquelas interrogações, não posso não reconhecer a expressa vontade de Deus, e com mão trêmula e coração trasbordante de dor, ignorando a verdadeira causa disso, disponho-me a obedecer-vos.
Pela primeira vossa pergunta, quereis saber quando Jesus começou a favorecer a sua pobre criatura com celestes visões. Se não me engano, estas devem ter iniciado não muito depois do noviciado (nota: noviciado feito de janeiro 1903 a janeiro 1904, entre 16 e 17 anos de idade).
Por 50 anos, ele carregou aquelas dolorosas chagas que causavam não somente agonia física, mas também sofrimento psicológico e espiritual. Padre Pio, um humilde frei que desejava permanecer oculto e que uma vez referiu-se a si próprio como insosso "macarrão sem sal", de repente tornou-se o centro das atenções.

Amados, espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais a respeito de Padre Pio, Paz e bem a todos.


Por: Jana Silva
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário