20140212

APOLOGÉTICA I - Intercessão dos santos.

"Se, por ignorância, fiz o contrário, revogo tudo e submeto todos os meus escritos ao julgamento da Santa Igreja Romana" (Santo Tomás de Aquino)

Salve Maria! Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Acredito que não só eu percebo que um dos pontos mais atacados da nossa fé católica é a intercessão dos santos. É principalmente neste ponto (somado à questão das imagens) que somos chamados de idólatras e que deveríamos nos dirigir diretamente a Deus, sem necessidade dos santos como intercessores.

Pois bem, baseado nisto, neste texto enumerarei um esquema de pontos importantes que necessitam ser abordados ao defender a fé católica sobre a intercessão dos santos. No entanto, não tenho como objetivo esgotar o tema, pois para a defesa da fé novos argumentos surgem a cada dia, fruto do estudo aprofundado das diferentes pessoas, leigos e clérigos. O objetivo é, como dito, enumerar pontos (assuntos) básicos que devem, necessariamente, ser abordados no discurso apologético deste tema em específico, para se formar uma teia argumentativa consistente, lógica, interligada e robusta.

Quando os inimigos da Santa Igreja e de sua Sã Doutrina atacarem a fé na intercessão dos santos, entre os inúmeros argumentos e pontos que devemos apresentar, os essenciais são os seguintes:
1Defender a Igreja como um Corpo, nos moldes da comparação feita por São Paulo em I Coríntios 12, 12-30;
Isto posto, partirá para o segundo ponto que é:

2 – Usando o Catecismo da Igreja Católica, será explicada a fé na Comunhão dos Santos e que, do céu, eles pedem a Deus por nós, que estamos nesta vida, consequência da união de sermos um só corpo em Cristo (Parágrafos 946 a 959).
Ora, primeiramente mostrando que <Igreja = Corpo de Cristo> e o Corpo é um conjunto só, com muitos membros e que age em harmonia, é que se pode falar em “comunicação dos bens” (CIC §947), comunhão das coisas santas e comunhão entre as pessoas santas; pois somos todos um só corpo, comandados pela Cabeça (Cristo) o membro mais importante! No Corpo místico de Cristo temos entre nós (os que estão no céu, no purgatório e na Terra) uma união espiritual. Minha santidade faz bem a toda a Igreja, mas meu pecado também afeta toda a Igreja.
ATENÇÃO AQUI!!! Mas os inimigos da Igreja persistirão: “Há um só mediador entre Deus e os homens!” (I Timóteo 2, 5). No entanto, esta passagem se refere à mediação no sentido de SALVAÇÃO, o que é bem diferente de INTERCESSÃO!!! Essa diferença deve ser enfatizada no discurso apologético, pois as pessoas de má-fé distorcem este trecho das Sagradas Escrituras. Realmente apenas por um só nome somos salvos, o de Jesus Cristo! Mas isto nada tem a ver com intercessão!
3 – Você dirá: “Se existe um só mediador e um santo que agora vive na bem-aventurança celeste não pode interceder (dirigir-se a Deus em oração) por nós, por que então nós aqui na Terra oramos uns pelos outros?” Ora, a partir do momento em que eu, em oração, peço a Deus por Beltrano, eu estou INTERCEDENDO por Beltrano! Se somos um só corpo e quem comanda o corpo é a Cabeça, tudo o que fazemos é por ordem da Cabeça (Cristo). Neste sentido, toda intercessão se dá por meio e ordem da Cabeça (Cristo) e inspirada pelo Espírito do Corpo, o Espírito Santo, que guia a Igreja.
Ninguém duvida desta possibilidade em vida! Todos podemos, e devemos, orar (interceder) uns pelos outros. O ataque à fé da Igreja se dá porque segundo os inimigos da Igreja nós contamos com a intercessão de quem “morreu”. Mas será que morreram mesmo???
4 – Os santos morreram para este mundo, mas lembremos das palavras de Cristo: “Eu sou a ressureição. Quem crê em Mim, ainda que morra, viverá.” (João 11, 25) Também, “Ele não é Deus de mortos, mas sim de vivos.” (Mateus 22, 31).
Sendo assim, os santos de Deus vivem, e vivem a vida em plenitude prometida por Nosso Senhor Jesus Cristo!
No entanto, lembremos que debatemos, na maioria das vezes, com pessoas que têm a Bíblia como um receituário. Tudo deve ter fundamento bíblico (e esta exigência não é bíblica, que contradição!). Então, cite algumas passagens bíblicas. E este é o quinto ponto.
5Citar passagens bíblicas que mostram a intercessão daqueles que estão na bem-aventurança eterna (anjos e santos). Passagens tais como: Tobias 12, 1-15; Zacarias 1, 12; Jeremias 15, 1; Lucas 16, 19-31 (Jesus contando a parábola do pobre Lázaro e do jovem rico), Apocalipse 5, 8; Apoc. 6, 9-10; Apoc. 7, 13-15; Apoc. 8, 2-5.
Várias outras passagens falam sobre a intercessão: Maria Santíssima nas bodas de Caná, a sombra de Pedro em Atos dos Apóstolos e, também em atos, os lenços e guardanapos que eram usados por São Paulo e eram posto em cima de doentes e estes ficavam curados (Atos 5, 15; e 19, 12).
6 - Ademais, pode-se falar sobre fontes históricas que comprovam a fé na intercessão dos santos pela Igreja primitiva. Os pedidos de intercessão feitos nas lápides das catacumbas de Roma, fontes patrísticas etc. Por exemplo: http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/patristica/estudos-patristicos/616-pais-da-igreja-e-a-intercessao-dos-santos
Resumindo: 1) mostrará a Igreja como o Corpo místico de Cristo; 2) isto tem por consequência o que chamamos “comunhão dos santos” (a união espiritual de todos os cristãos = no céu, no purgatório e na Terra); 3) defende a intercessão entre nós, os vivos (neste mundo); 4) a partir daí parte para a defesa da intercessão daqueles que já se foram (que estão no céu e no purgatório), justificando que eles não estão “mortos”, mas vivos na bem-aventurança celeste e fazendo parte deste mesmo Corpo que nós, vivos, fazemos; 5) citar algumas passagens bíblicas que falem sobre o tema (embora não seja necessário, mas para “satisfazer” a quem não aceita outro tipo de argumento); e 6) citar fontes históricas da Igreja primitiva.
Espero que este pequeno roteiro que preparei sirva para organizar as ideias e a sequência dos argumentos na hora do debate. Como falei, não ouso tentar esgotar o tema. Outros e novos argumentos estão sempre aparecendo e são sempre bem-vindos. Só propus, aqui, o básico a ser falado. Sempre devemos aprofundar os estudos para sempre estarmos prontos para defender a fé da Santa Igreja Católica! Estudemos!
 Pax Domini sit semper vobiscum!
Permaneçam todos sob a maternal proteção de Maria Santíssima.

Por: Humberto Ramón
        Correspondente Catolics Nerds - PE

[1] Este texto é dirigido a todos os Católicos Apostólicos Romanos (bitolados e escolascadores) para que saibam organizar as ideias para defender a fé na intercessão dos santos.
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário