20140214

Os Passos Trôpegos do Vandalismo

Assim como falei com o Maurício¹, precisava escrever um pouco sobre esse assunto, que tenho visto ter causado um certo alarde e furor nos últimos seis meses da nossa existência no eixo Tupiniquim.
Muitas pessoas falam sobre a questão do Vandalismo, mas não visualizaram que isso é apenas a resposta entulhada no céu da boca do povo. O Vandalismo só foi possível graças aos últimos doze anos de política desordeira e agressora das liberdades, que entre elas, se incluem a da religião e de opinião. 

Todo povo cuja fé é oprimida acaba convertendo-se a opressão, pelas inúmeras agressões ao bem-estar. E imbuídos, diversos tipos de aproveitadores se relacionam a tais grupos para criar uma onda de ódio que não é intermitente. Ela é crescente e com o tempo pode causar muito mal a sociedade do país.

Não é o falar por falar. Abraçar o bom senso há muito deixou de ser opcional. Nas horas de maior calamidade, onde as enfermidades psicológicas começam a pipocar nos grandes centros urbanos, devemos nos remeter ao povo de Deus, que passou por gigantescas miríades de ódio e sobreviveu com a força da fé e da paz. Se ignorarmos nossas crenças, os últimos arcabouços que nos mantém a esperança, estaremos concordando em agir com quem torna indigno o livre arbítrio sob a ótica social e política.

Entre os recursos que devemos utilizar aliado ao bom senso é o sufrágio em outubro e a demolição dos interesses diversos. Com o tempo, devemos pensar em nos colocar sob o jugo da necessidade de fazer parte dessa política, mas no momento atual, vide o despreparo, o melhor a se fazer é lutarmos com as nossas armas diante destas ideologias mórbidas que tentam descer pela goela do povo abaixo. Ser bom não é ser submisso. É abraçar o bem até mesmo nas horas mais sombrias, que são essas que separam os homens dos lobos.

Por: Leon Bravo
       Catolics Nerds - RJ

[1] Mauricio Gil Cavalcanti - Redator do Catolics Nerds.
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário