20140617

Entrevista Frei Clemente Rojão

Senhoras e senhores hoje ao retomarmos o ciclo de entrevistas no Catholic Nerds trazemos a vocês uma entrevista com nada mais, nada menos que Frei Clemente Rojão, numa conversa que nos deixa com um gosto de quero um pouco mais e quem sabe logo venha a vocês a parte II da entrevista? Caso tenham alguma pergunta deixem nos comentários para que possamos programar esse segundo bate- papo

 

Catholic Nerds: Como o senhor  avalia a atual realidade da Igreja de Cristo no Brasil? Quais os erros, acertos e o que fazer para que a Igreja seja cada vez mais católica?

Frei Clemente: A realidade é bastante complexa mas temos de ter em mente que estamos lidando com uma organização divina, isto é, além do critério meramente humano. Deus disse por Isaías “Meus caminhos não são vossos caminhos”. Pode ser que ele não ache que mereçamos ser uma Igreja próspera, dado nossas atitudes. Pode ser que, como a Igreja da Ásia Menor e da África, estejamos condenados a desaparecer. Pode ser que sobrevivamos apesar dos pesares.

Quais os acertos? Temos engajado a juventude. Temos entrado no radar da Santa Sé (os três últimos pontífices vieram nos visitar). Temos feito brasileiros chegarem à glória dos altares (ainda que não os saibamos aproveitar). Conseguimos deter o crescimento dos evangélicos.

Quais o erros? Diversos. Talvez o maior erro, o pai dos erros, a cabeça dos erros foi ter permitido que a Teologia da Libertação tivesse algumas décadas falado solitária na Guerra Cultural, inclusive formando um episcopado (e um clero em geral) fraco de doutrina, politiqueiro, que não consegue atrair o povo para Cristo.  Posso citar diversos outros erros, mas todos são derivados desse ai. Viramos uma ONG Social, um apêndice de um governo Leviathan que originalmente era de “Bem-Estar” e fica Bolivariano a cada dia.

Catholic Nerds: Hoje vemos a olhos vistos a volta a Tradição dos jovens Católicos  podemos atribuir esse retorno a uma verdadeira  busca pelo conhecimento e zelo pelo sagrado?

Frei Clemente: Este retorno é muito sincero e sem dúvida estimulado pelo Espírito Santo. O jovem hoje em dia vive este catolicismo picolé com chuchu que se vê nas catequeses, cursos de crismas e outros. Ai fatalmente ele toma contato – as vezes sem querer - com a grande herança católica e fica maravilhado, seja pela teologia, seja pela cultura. É como um judeu escravo na Babilônia que ouve falar de Moisés, de Davi, de Salomão, dos profetas e se vê escravo em terra pagã e sonha em retornar para o reino de Israel, fiel à aliança do Senhor. É como um jovem pobre que descobre que seu avô era riquíssimo e seus pais esbanjaram tudo e se dedica a descobrir onde estão estes bens ocultos. O jovem procura a tradição em busca destes tesouros que lhe foram ocultos por uma catequese pobre.

É hora de parar com a picuinha de “tradicionalistas versus neocons” que na boca dos últimos soa como “cismáticos versus ortodoxos”. O Inimigo é forte, e o inimigo é esta religiãozinha não-sobrenatural de bom-mocismo do Marxismo Cultural, que tem a teologia da libertação como sua ponta de lança.

Catholic Nerds: Como impedir uma debandada de jovens para o ateísmo e para outras religiões?

Frei Clemente: Se souberem, avisem-me que estou precisando saber o método.

Catholic Nerds: Quando um jovem (a) se decide pela vida religiosa, quais os primeiros passos devem ser dados  para que essa vocação não se perca e torne-se frutífera e fonte de santidade para a Igreja.

Frei Clemente: Ótima pergunta. De maneira esquemática, aqui vai:

a)     Estabilidade intelectual, sexual e psíquica. A Igreja precisa de homens, não moleques. A Igreja precisa de gente bem formada. Pode até ser simples, mas não seja simplório. Quanto à parte sexual, está ai o mais difíceis, há seminários que parecem ter predileção por efeminados. Quando ouço um seminarista falando em sustenidos e remexendo os olhos de soslaio, que tristeza! Esta é a condição mais difícil,  arrumar homens! Hoje em dia nossos legisladores e governantes desestimulam o tabaco para estimular a sodomia, desestimulam a matemática para estimular o relativismo, desestimulam a família para estimular ajuntamentos pan-sexuais que fariam até Calígula se envergonhar.

b)    Santidade de vida. Não adianta, esta é condição sine qua non. O Diabo pesca em águas turvas, enquanto Deus é um claro formulário em papel ofício timbrado. Além do candidato dever estar condições psíquicas excelentes e estáveis para a sua decisão e estar absolutamente em estado de graça e com os sacramentos em ordem. Quem está em pecado mortal é chamado àconversão, após isso à vocação. Agostinho não era chamado a ser monge vivendo com Aurélia, e sim à sua regularização, após isso que pôde novos vôos.

c)     Espiritualidade e Vida Interior.  É fundamental. Tem de ter vida interior.  Recomendo que o candidato proceda aos exercícios Espirituais de Santo Inácio para melhor a desenvolver. Infelizmente se pede do candidato “vivência comunitária e pastoral”. Perdoem-me mas isso é bobagem. Quem não tem espiritualidade pode ir em mil pastorais, em mil cenáculos, em mil encontros diocesanos, entra plano e sai plano. Já aqueles que tem vida interior, podem estar no deserto com Santo Antão, mas que santidade, que sabedoria, que homens de verdade!

d)    Um bom orientador (entenda-se Diretor Espiritual). É fundamental. É tão fundamental que penso ser esta a parte divina da caminhada vocacional. Deus faz o milagre de dar bons diretores espirituais a quem ele quer chamar. Quando vejo uma vocação fracassada, nem culpo o rapaz. Culpo ao Diretor Espiritual.

e)     Não demonstre ser conservador. Aqui vai um esperteza além da juventude. Os conservadores são ativamente excluídos dos seminários, quando não aceitos de entrada. O perfil do seminarista desejado hoje em dia é “maleável, burrinho e efeminado”. Infelizmente.  O vocacionado deve ser dócil, não dar muita opinião e se conformar a tudo o que for honesto que os “escolhedores” queiram. Seu coração deve abrir apenas ao Diretor Espiritual, quanto aos outros, exerça a prudência das serpentes.

f)     Quanto à Ordem, à Diocese, é o de menos. Todas as ordens e todas as dioceses de Nosso Senhor são boas para os bons. Será que Santo Antônio de Pádua, um exemplo de santidade a toda prova, não já era santo sendo agostiniano? Será que se tornasses-se dominicano seria menos santo que franciscano? Duvido.

Catholic Nerds:  O que falta para que tenhamos uma tradução do Missal Romano  fiel a doutrina da Igreja?

Frei Clemente: Humildade. Nossos bispos terão de admitir que temos uma tradução ruim e ficaram estas décadas complacentes com ela. E não duvido que se tivermos uma nova tradução, haverá resistência por costume com a tradução atual.

Catholic Nerds: Sabemos que a Encíclica Quadragésimo Ano condena veementemente o comunismo e ela é frequentemente ignorada por alguns Católicos Brasileiros, porque isso acontece? O que fazer para cortar esse mal pela raiz e livrar de vez a Igreja Católica desse mal?

Frei Clemente: Temos de vencer a Guerra Cultural.

Foi grande astúcia terem inoculado tão bem o marxismo na doutrina que “pelo hábito já nem mais se sente”. Não é que eles ignorem, é que eles nem sabem que isso é comunismo nem que há um mundo fora deles. Um dia o siri perguntou ao peixe como estava a água, e o peixe não sabia o que era água. E não só na Igreja, em tudo. Toda criança, todo jovem é tão incessantemente bombardeado com conceitos comunistas na sua educação que é natural, é a maneira de ver o mundo. E da mesma maneira o clero com a teologia da libertação. Eles foram formados assim. Em certo sentido, a metáfora da Águia e da Galinha de Boff está certa. O que este pilantra e velhaco não ensinou é que É ELE o canalha que ensina às águias que elas são galinhas através de todo seu marxismo.

Quanto à cortar o mal pela raiz, nem se o grande Jacques Fournier ressucitasse seria capaz de fazê-lo. Tecnicamente, apenas no Final dos Tempos o mal será cortado pela raiz.

Penso que devemos fazer nosso trabalho de formiguinha, quebrando a espiral do silêncio e cada vez mais mostrando a vida como ela é. Escrevi no meu “Política Eclesiástica para Conservadores” alguns exercícios sobre isto. https://docs.google.com/file/d/0BwdfTWzo3_svQTZCSW5NSXJ2WWc/edit?usp=sharing

Também penso que politicamente devemos ter mais alianças com as outras forças anti-esquerdistas, como os liberais clássicos e os conservadores não-católicos. Afinal, é para vencer a Guerra Cultural, não para casar com eles.

 

Catholic Nerds: Qual a sua opinião sobre a Pastoral da Juventude e sobre a visão de tal Pastoral sobre a Doutrina Social da Igreja?

Frei Clemente: A Pastoral da Juventude é um lixo. Não sei direito qual é sua visão sobre a Doutrina Social mas deve ser lixo em cima de lixo.

O fato é que a Teologia da Libertação justamente anda em baixa por causa do movimento conservador e de resgate à tradição, então muito picareta quer travestir agora marxismo de “Doutrina Social da Igreja”.

Catholic Nerds: A Teologia da Libertação esta morta ou ainda podemos temer seus tentáculos?

Frei Clemente: Mortinha feito um zumbi de filme que vem devorar seu cérebro.

Há um belo abacaxi teológico a descascar aqui. Muitas vezes na História da Igreja os papas e a Santa Sé fizeram coisas que inicialmente pareciam boas mas no final resultaram em muitos males. Paciência, acontece com pessoas físicas e jurídicas. Lá nas origens a Teologia da Libertação teve chancela do Papa João Paulo II. Portanto tecnicamente havia uma TdL boa na teoria. Eu digo na teoria, porque na prática descambou para grossa pilantragem marxista. Tanto que o cardeal Ratzinger, ainda sob JPII e com sua chancela, criticou aspectos práticos da TdL, mas não a atirou de todo no lixo. Da mesma maneira muitos ponta de lança da TdL foram condenados como hereges, mas não a TdL como heresia. Não é a primeira vez que algo que parece ser bom prova-se mal. Ainda que na linguagem livre do blog possa-se chamar a TdL de heresia,não é possível fazê-lo no ambiente infra-eclesiástico, ou mesmo num debate teológico sério, nem que seja entre inimigos fidagais da TdL. Esta é a verdade. Até espero uma "reabilitação curial" da TdL, mas de pouca penetração no "chão de paróquia".

Catholic Nerds: Qual a  sua visão  a respeito do CVII?

Frei Clemente: O Concílio Vaticano II é canonicamente legal desde sua convocação à sua conclusão, e seus documentos foram votados (o que não é tão comum, mas os concílios passados não nos deixaram a estatística) por ampla maioria dos delegados. E ampla mesmo de cabeça, o que teve menos aprovações oscilou por volta de 85% dos delegados. Como se não bastasse, o papa chancelou os textos com sua assinatura. Sendo assim, quaisquer elocubrações sobre sua legalidade canônica são espúrias.

Quanto aos seus textos, tenho lido várias vezes. Nunca li nada contrário à doutrina. O problema é que são longas meditações verborrágicas (aliás, como a maioria dos textos do século XX) e que não servem quase nada para a catequese. São textos para doutores nas academias eclesiásticas.  Um capítulo da Imitação de Cristo tem mais força evagelizatória que toda a Lumen Gentium, é verdade que são textos com objetivos diferentes, mas eu me ressinto com a baixa assertividade dos textos modernos.

O Concílio Vaticano II foi duplamente traído: Em primeiro lugar pelos que fizeram nas Igreja besteiras que documento algum mandou fazer. Em segundo lugar por aqueles que o condenaram, e a grande maioria dos que repetem estas condenações não leram os textos do Concílio, verão que são textos até chatos mas não heréticos.

Todos os anos 60 viram o triunfo do desconstrucionismo da Escola de Frankfurt.  Nenhuma atividade humana no Ocidente escapou disto. A Igreja também. Só que inventaram como pretexto um Concílio cujos textos são solenemenete ignorados, apelando a um tal “Espírito do Concílio”, matéria plástica nas mãos de acusadores ou de distorcedores.

Catholic Nerds:  Qual sua opinião sobre oração em línguas e batismo no Espirito Santo?

Frei Clemente: Resumindo bem resumido: A glossolalia demonstrada em encontros carismáticos não parece ser a glossolalia história e inteligível de Pentecostes nem da Igreja dos primeiros séculos, associada ao dom da profecia. O que vemos na RCC tem origem neopentecostal protestante o que é muito preocupante e na minha visão trata-se de uma mescla de auto-engano, padrões melódicos inconscientes e medo das pessoas de serem os únicos que não oram em línguas. Quem faz de coração, apenas está dando fruto à padrões inconscientes de sons desconexos, tanto que o som começa a se repetir com melodia e ritmo, como uma música, sem a estrutura articulada e arritmada de um discurso. Outra metade finge que ora em línguas para não ficar de fora parecendo que “não tem fé”. Quanto ao “batismo no Espírito Santo” trata-se de uma rematada bobagem de origem neopentecostal e um católico de bem não deveria dar apoio algum a isto. Só há um batismo em nossa doutrina e o que vem além disso é do Maligno.

 

Catholic Nerds: Qual sua posição  com relação a causa de Dom Marcel Lefebvre?

Frei Clemente: Conquanto que tenha simpatia pela preocupação que sentia, Lefebvre foi um tiranossauro numa loja de cristais. Para mim Lefebvre é um mistério. Como podia ter tanta lucidez em alguns pontos ao perceber os sinais dos tempos enquanto ao mesmo tempo não notou que suas ordenações o levariam a uma excomunhão legal e legítima, o que lançou na sua testa e na do seu movimento o ferrete de Caim para sempre, podendo ser clara e indubitavelmente apontada por seus inimigos. Ele para mim é um grande mistério.

Catholic Nerds: O que dizer das declarações do Padre Paul Kramer com relação a renúncia de Bento XVI?

Frei Clemente: Um belo exercício para um romance histórico no século XIV em Avignon com o pape de La Lune, mas negada pelos fatos. O próprio Bento XVI já disse que canonicamente cumprira os requisitos para a renúncia.

Catholic Nerds: Por que o rito de Paulo VI, hoje em dia, vem sendo tão abusado liturgicamente por sacerdotes e leigos?

Frei Clemente: Qualquer rito é abusado por pessoas mal formadas. Dêem um tempo que até a missa tridentina será avacalhada.

Catholic Nerds: Por que alguns Sacerdotes perderam o medo do inferno e deixaram se contaminar com pensamentos marxistas, hereticos, apostaticos e etc.?

Frei Clemente: Porque? Misterium Niquitatis. Em certo sentido, é um mistério da concupiscência da carne toda tolerância com o pecado. Os padres não são ensinados estas coisas, os novos padres de boa fé aprendem que é errado “aterrorizar” as pessoas com a condenação infernal, os padres são confundidos de que não se deve apontar os erros de outras doutrinas.

Explico melhor:

a) O clero da Igreja no Brasil é composto na grande maioria de brasileiros

b) os brasileiros estão ficando cada vez mais ignorantes, mal-formados e cheios de preguiça intelectual

LOGO

c) O clero da Igreja no Brasil está ficando cada vez mais ignorante, mal-formado e cheio de preguiça intelectual

Catholic Nerds: É possível, com alguma medida, livrar a Igreja desse relativismo e modernismo que adentrou no templo como uma fumaça infernal? Se sim, qual a medida na sua opinião?

Frei Clemente: Aqui faço um reparo. Relativismo sim, temos cheios. Aliás, não só na Igreja, se formos ver. Até mesmo as artes e as ciências têm sofrido com o relativismo. É por isso que as Ciências Exatas estão tão deprimidas, porque não se prestam ao relativismo do homem atual.

Modernismo no sentido clássico de Pio X não. Aliás, o mau diagnóstico levou a um mau tratamento, Pio X não deveria ter tentado classificar os erros de sua época em um grande pacote de heresias e idéias muitas vezes antagônicas.

Qual a medida? Maraná-tá. Mais uma vez digo que não sei o remédio. Talvez seja a minha falta de fé, deveria apontar oração e sacramentos como os remédios salutares nestes últimos dois milênios.

Eu só quero fazer aqui um apelo para que sejam rechaçadas de maneira veemente quaisquer tentações de abandonar a Igreja romana pela Igreja russa. Há de fato um belo exercício de poder eurasianista financiada pelo regime russo (a nomenklatura soviética) que tem ampla penetração entre os conservadores. Uma das estratégias do eurasianismo é justamente atrair os conservadores ocidentais para a sua esfera de influência.  É muito importante que os católicos romanos não se deixem seduzir pela Igreja russa, por mais desacorçoados que fiquem.

Catholic Nerds: Podemos vislumbrar um futuro Tradicional para a Igreja no Brasil?

Frei Clemente: Não. O que teremos é uma amálgama. Nós não nos livraremos da baba relativista e esquerdopata, mas teremos uma elite católica atuante e bem treinada para salutarmente manter a Igreja nos eixos. Vai ser joio e trigo.

Vocês tem a ilusão que a destruição de toda vida intelectual brasileira nas últimas décadas iria deixar o clero intacto? O clero é ruim e mal-formado porque os brasileiros são ruins e mal-formados. Qual é o estímulo para os melhores alunos entrarem nos seminários? Qual é a produção intelectual diferenciada que as PUCs geram em relação às universidades mundanas? O povo tem o padre que reflete sua mediocridade, e isso se mostra no desleixo litúrgico e na fraqueza doutrinária. Não pensem que a Igreja não caminha com o povo, ela caminha com o povo rumo ao buraco geral...

Catholic Nerds: Cite 3 Bispos Brasileiros realmente fiéis na sua opinião e porque?

Frei Clemente: Aqui faço minhas as palavras atribuídas à Shakespeare, “só considere bom um homem morto”. Até agora, vejo com bons olhos o Cardeal Scherer, em São Paulo; Dom Henrique Soares da Costa, agora em Palmares e Dom Ruy José, de Jequié.  Mas como disse o bardo, só quem morreu é bom, quem está vivo ainda pode aprontar. Salomão que era o mais sábio dos reis pecou e levou o reino com ele, quanto mais um bispo!

A geração do clero TdL está morrendo no deserto, e a nova aspira a coisas mais altas e menos rasteiras. Quanto aos maus, acompanharemos eles morrerem de velhos sem deixar legado: http://freirojao.blogspot.com/2014/05/dom-tomas-balduino-no-inferno-uma.html

 

Por: Catholic Nerds
Compartilhar:

3 comentários:

  1. Acho que o frei tem razão desse declínio da Igreja, inclusive deveria a essas horas a CNBB estar bradando contra os comunistas que estão no governo patrocinando, como disse, o Marxismo Cultural-MC que socializa a doutrina da Igreja, faz dela trampolim para se chegar sutilmente ao comunismo.
    O problema é que o povo não tem orientação, elege uns comunistas, como do PT, e à exceção dele e do grande Pe Paulo Ricardo como sacerdotes ou muito poucos mais ensinam sobre a força dessas ideologias em folhetos dominicais, como da Editora (Socialista) Paulus; pelo menos na rede.
    Aliás, por aí nas S Missas nunca ouvi um sacerdote falar sobre MC nas homilias; creio que nem sabem o que é isso.
    É aí o povo fica á mercê dos lobos das ideologias marxistas que se misturam à TL com esse cristianismo agua doce de "respeito, tolerância às diversidades, não discriminar", mas no fundo é um modo de inibir os católicos a defenderem a doutrina da Igreja e caírem no relativismo religioso ou no sincretismo, o que eles querem de preferencia.
    Esses caras dessas ideologias, incluindo-se alguns comunistas sacerdotes, como da TL, parecem uns verdadeiros demônios em formas humanas para tentarem impor suas ideologias em cima dos outros; não descansam, nem dão tréguas e agora falsificando e se travestindo de defensores da "Doutrina Social da Igreja" para se imporem, inclusive ressuscitando as CEBs; eles são terríveis!

    ResponderExcluir
  2. F6QIk4 eupobrldheuv, [url=http://asrrlbrfsygn.com/]asrrlbrfsygn[/url], [link=http://swoqvpldtnfv.com/]swoqvpldtnfv[/link], http://hvsaipsbgdsf.com/

    ResponderExcluir
  3. EcKHhm zfpgsrcobsfq, [url=http://pbwspkloqfjh.com/]pbwspkloqfjh[/url], [link=http://yoppfbtyjklt.com/]yoppfbtyjklt[/link], http://zeitguizykpu.com/

    ResponderExcluir