20150131

Modéstia: O adubo do jardim de Deus

modestia Salve Maria!



 Neste artigo, de forma humilde e sobre a proteção da Santíssima Virgem,  quero usar de uma analogia para esclarecer um pouco mais sobre a necessidade da virtude da modéstia  na vida espiritual e humana de cada pessoa.


 Cada alma ao ser criada por Deus foi modela de uma forma única e peculiar, e por isso podemos concluir que a criação de Deus é bastante diversificada assim como a natureza também por Ele criada. Se observarmos apenas as flores veremos uma infinidade de espécies, cores, formas e tamanhos. Mas mesmo sendo diferentes precisam dos mesmos elementos para crescerem. Assim também é cada alma, que mesmo tendo tantas particularidades, necessita dos mesmos elementos para se santificar.


 No caso das flores esses elementos são a luz do sol, a água, os minerais e até mesmo adubos e outros compostos que ajudam a crescer. Já nas almas esses elementos são as virtudes, principalmente aquelas já embutidas em nós através da Graça do batismo (Fé, Esperança e Caridade).


Mas o intuito dessa analogia é de chegar a uma virtude considerada como virtude humana, ramificação de uma virtude cardeal. A modéstia é tão essencial a uma alma, como o adubo é necessário para uma planta.  A mesma quando adubada, cresce de modo pleno e tem por isso a oportunidade de mostrar ao mundo o melhor de sua beleza, tornando se a flor mais bela do jardim. Já a planta não adubada, cresce de modo mesquinho, perdendo sua função de embelezar o jardim.


Com as almas observamos algo parecido. Ao adotar a modéstia percebemos que, embutido a essa virtude, a alma recebe um dom de potencializar suas qualidades e sua dignidade. Torna-se claro aos demais que há nela algo tão puro e pleno que jamais poderia vir da mesquinhez humana, e esses passam a desejar isso, bebendo da fonte de Cristo e de sua Vida através dos Evangelhos. Porém, há aquela alma, que indiferente a virtude, cresce para o mundo, mas torna- se para os demais símbolo de solidão e de  pobreza. Oh pobre flor que contamina o jardim com tamanha mesquinhez e podridão.


Vejam também o que acontece com essa pobrezinha que por indiferença recusou-se a receber o mel das virtudes, o lírio da pureza e a graça de Nosso Senhor, ela perde se por completo dela mesma e vive um completo desespero. Cai se suas pétalas, esvazia-se de sua dignidade e morre por não ter mais função naquele jardim.


Queridas almas, não sejam como esta pobre florzinha que indiferente se fez ao chamado de Cristo, mas sejam como a primeira que ao ouvir a voz do jardineiro fiel deixou-se encher de adubo, luz solar, água e sais minerais e pode crescer em estatura, mas também em beleza para Deus. Deixem-se ser cuidadas por esse jardineiro e serão como um jardim primaveril, rico em beleza e em graça diante do Reino dos Céus.


Peçamos a Deus a graça de beber do mel das virtudes e frutificar em nossa vida, rumo a santificação.


Que Nossa Senhora nos acompanhe e nos guarde.


Viva Jesus!!


Maria Alice Gomes Sarcinelli


Correspondente do Catholic Nerds direto do estado do Espírito Santo. 

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário