20150123

Pastoral da Juventude

 LOGOPJ          A Pastoral da Juventude é um movimento que está dentro da Igreja Católica, surgindo por volta das décadas de 60 e 70, com finalidade de promover a evangelização entre os jovens de todo o Brasil com o apoio da CNBB. São as missões: a AJURI (voltada para a população indígena, quilombola e ribeirinha); A Juventude quer viver!(voltado de fato para a juventude em si, como o nome já diz); Caminhos da Esperança (visa o potencial de iniciativa das formações de liderança e assessoria no país); Mística e Construção (arte, música e da cultura popular); Tecendo Relações e Teias de Comunicação.


                 Só que a pastoral não é essas mil e uma maravilhas como citados aí acima. Por quê? Porque está ligado a nada mais que a Teologia da Libertação, uma teologia voltada com ideais marxistas, o que torna como um câncer para a Igreja. São poucas as Pastorais da Juventude que prestam... O que não duvido que dê para contar nos dedos.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   A Teologia da Libertação vem causando um mal muito grandioso na Igreja Católica, pois estão desmoralizando algo muito importante, que é a liturgia. Quantas e quantas vezes já se repararam em Missas inculturadas, como Missa do Zumbi, Missa Sertaneja, Missa dos Oprimidos (o que eu creio que exista). Não seguem o Missal, as vestes dos padres na Missa e fora dela não convêm, são contra o uso da batina e sem falar das músicas... Ah as músicas que a TL faz com a PJ são terríveis, pois tudo envolve opressão. Um exemplo claro disso é a canção Negro Nagô. Querem transformar a Igreja no que ela não é, em: igualitária, sem economia sacramental, de luta social, com finalidade de que o paraíso é aqui na Terra. O que contraria as palavras de Jesus, pois Ele diz que o Seu reino não é deste mundo.


                Além disso, pregam um falso amor aos pobres. Vivem dizendo que são oprimidos e tudo e nada o fazem. A Igreja Católica ama de fato os pobres e temos um exemplo de santidade a Beata Madre Tereza de Calcutá. Ela os amava, mas ela não fazia parte da Teologia da Libertação. Assim o faz os ditos sistemas socialismo e comunismo: alienam, tiram tudo o que tem deixando-os miseráveis, fazem uma propaganda gigantesca de que tudo vai melhorar, pois todos são iguais e perpetuam no poder e ainda acham que está tudo perfeito.


                A Pastoral da Juventude é um movimento partidário. Sim, partidário mesmo. Padre Paulo Ricardo disse uma vez que a Teologia da Libertação é teologia a serviço do partido. É coligado ao partido esquerdista, o PT. Apóiam o governo atual, apóiam os líderes cubanos, Che Guevara, um dos maiores líderes revolucionários da América Latina e que não tolerava os cristãos, ignora o que está acontecendo com os outros por conta de benefício próprio. Ora, eles não fariam isso se não houvesse interesse por trás, não é?


              O primeiro passo, para que o movimento se torne melhor, é remover essa Teologia Marxista que está impregnada nas igrejas. Depois ter inúmeras aulas de catequese, pois são carentes de espiritualidade e apresentam divergências do catolicismo. A PJ, assim como outros movimentos, tem como objetivo de levar as almas para o Céu e não é de todo jeito que se faz isso.  Precisa-se de cristãos autênticos para juntos vencermos o bom combate e também para dizermos que “Já não sou mais quem vivo, é Cristo que vive em mim” como dizia São Paulo em uma de suas cartas. Somos vocacionados ao amor. E é desse amor, buscando a santidade de maneira certa, conseguimos conquistar os planos de Deus.


Por: Brunna Braga


Catholic Nerds - Nordeste.

Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário