20150617

São João Paulo II – Vida e Obra

01joaopauloiia"Um santo para os nossos dias: Viajarei por onde me chamarem as exigências da fé e dos valores humanos."

 

Olá, caros amigos nerds. Hoje, venho falar de um homem que entrou pra história no século XX como uma esperança para a humanidade: São João Paulo II.


Karol Wojtila, seu nome de batismo, nasceu no dia 18 de maio de 1920, em Wadovice na Polônia, cidade a cerca de 50 quilômetros de Cracóvia. Era o segundo filho de Karol Wojtyla e Emilia Kaczorowska e veio ao mundo durante a guerra da Polônia com a União Soviética. Sua mãe tinha a saúde debilitada e morreu quando Karol tinha apenas 9 anos. A partir de então, ele foi criado apenas pelo pai militar e pelo irmão mais velho, Edmund, que se formou em medicina, mas também morreu prematuramente, em 1932, vítima de uma epidemia. Nove anos mais tarde, em 1941, quando Karol tinha seus 21 anos, morre o pai em um dos mais rigorosos invernos da Polônia. Ele era um rapaz que gostava de poemas e escreveu algo para mostrar sua dor:


Sei que sou pequeno/ Mas há outros ainda menores que eu/ Ele me escolheu, Ele me lança nas cinzas/ Ele pode fazer isso - mas por quê? / Por que fazer isso comigo? / Ele é o provedor.


Em 1938, se matriculou na Universidade Jagellónica de Cracóvia e em uma escola de teatro. Tudo corria relativamente bem até que as tropas nazistas invadiram a Polônia, em 1º de setembro de 1939. Com a ocupação alemã, a Universidade foi fechada e o jovem teve que trabalhar em uma pedreira e depois em uma fábrica química para ganhar a vida e evitar a deportação para a Alemanha. Em 1942, quando ele tinha 22 anos, Karol “ouviu o chamado de Deus a vocação de ser padre” e entrou para o seminário “clandestinamente”, já que os nazistas haviam proibido qualquer manifestação religiosa no território polonês. Com o fim da ocupação nazista em 1945, ele continuou seus estudos de teologia na universidade de Jagellónica na Cracóvia, e em 1º de novembro de 1946, foi ordenado sacerdote pelas mãos de Dom Adam Stefan Sapieha (arcebispo de 1925-1951). Recebeu o grau de doutor em Teologia em Roma na Pontifícia Universidade Santo Tomás de Aquino, com a tese “A Doutrina da Fé segundo São João da Cruz”. Depois, voltou à Polônia, onde se tornou vigário e capelão dos universitários, e seu primeiro gesto foi “beijar o chão”, algo que se tornaria depois uma marca do seu pontificado. Foi nomeado bispo auxiliar na Cracóvia em 1958, arcebispo em 1964 até o ano de 1978 (quando foi eleito Papa), e cardeal em 1967. Participou ativamente do Concílio Vaticano II e representou igualmente a Polônia em cinco assembleias internacionais de bispos entre 1967 e 1977. Participou do conclave que elegeu seu antecessor, o papa João Paulo I, que morreu apenas 33 dias após a sua eleição; até que no dia 16 de outubro de 1978, com 99 votos de 108, era eleito como novo papa Karol Cardeal Wojtyla, que escolheu o nome de João Paulo II em homenagem aos seus 3 antecessores (Paulo VI, João XXIII e João Paulo). No dia 13 de Maio de 1981, foi atingido por dois tiros e ficou gravemente ferido durante uma tentativa de assassinato quando entrava na Praça de São Pedro, no Vaticano. O atentado abalou a saúde do Papa para sempre. Em 1992, ele foi submetido a uma cirurgia para extrair um tumor no intestino. Um ano depois, deslocou o ombro ao cair de uma escada. Em 1994, sofreu uma nova queda, no banheiro, e teve que receber uma prótese no fêmur. O mal de Parkinson exigiu que o Papa passasse a tomar uma série de medicamentos. Em fevereiro de 2005, João Paulo II sofreu duas internações de urgência. A primeira, devido a uma crise respiratória, e a segunda, para ser submetido a uma traqueostomia. Morreu aos 84 anos, no Vaticano, após dois dias de agonia, às 21h37 de Roma, 16h37 de Brasília, do dia 2 de abril de 2005, em seus aposentos no Palácio Apostólico.


São João Paulo II nos deixou um legado muito grande. Teve o terceiro maior pontificado documentado da história, depois de São Pedro, que reinou por cerca de trinta e sete anos, e Pio IX, que reinou por trinta e um anos. Foi o único Papa eslavo e polaco e o primeiro Papa não italiano desde 1522, quando reinou o Papa Adriano VI, neerlandês. Entre seus escritos estão a peça de teatro "A Loja do Ourives" em 1960, que escreveu sob o pseudônimo de Andrzej Jawien, "Amor Frutuoso e Responsável" e "Sinal de Contradição", ambos publicados em 1979. Escreveu também 14 encíclicas, fez 15 exortações apostólicas e escreveu inúmeras cartas. Criou 231 cardeais em 9 consistórios. Como parte de sua ênfase especial na vocação universal à santidade, beatificou 1340 pessoas e canonizou 483 santos, quantidade maior que todos os seus predecessores juntos pelos cinco séculos passados. Em Setembro de 1993 deslocou-se às repúblicas do Báltico na primeira visita papal a países da antiga União Soviética. Bateu o recorde de viagens ao redor do mundo chegando a visitar 130 países, inclusive o Brasil, 3 vezes. Em 1980, foi recebido pelo general João Batista Figueiredo e durante 12 dias, João Paulo II percorreu as cidades de Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Aparecida, Porto Alegre, Curitiba, Manaus, Recife, Salvador, Belém, Teresina e Fortaleza. Essa visita foi marcada pela expectativa dos brasileiros em receber pela primeira vez um papa no país e pela beatificação do jesuíta espanhol José de Anchieta, fundador da cidade de São Paulo. Participou também do X Congresso Eucarístico Nacional, em Fortaleza. Em 1991, entre 12 e 21 de outubro, sendo recebido em Brasília pelo então presidente Fernando Collor de Mello, visitou a Irmã Dulce, em Salvador, percorreu 10 capitais, fez 31 pronunciamentos e beatificou Madre Paulina (ocasião em que eu estava presente). Em 1997, entre 2 e 6 de outubro, foi recebido pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Nesta visita o papa participou do II Encontro Mundial com as Famílias, realizado na cidade do Rio de Janeiro, e ficou por quatro dias na cidade.


São João Paulo II influenciou muito a restauração da democracia e da liberdade religiosa no leste da Europa, especialmente na sua terra natal, a Polônia. Reagiu ferozmente à dissidência no interior da Igreja, reafirmando os ensinamentos católicos contra a homossexualidade, aborto e métodos "artificiais" de reprodução humana e controle da natalidade, assim como a defesa do celibato dos padres. Ele também resistiu à secularização da igreja. Ao redefinir as responsabilidades da laicização, dos padres e das ordens religiosas, rejeitou a ordenação das mulheres e opôs-se à participação política e a manutenção de cargos políticos por padres.


Em 1984 foi celebrado um encontro da juventude com o Papa, na Praça de São Pedro, no Vaticano. Na ocasião, o Papa passou aos jovens a cruz o que, futuramente, seria um dos principais símbolos da JMJ, a Cruz da Jornada. O ano de 1985 foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas, e mais um encontro com os jovens foi agendado. Desta vez, foi anunciada a instituição da Jornada Mundial da Juventude. Em 2003, o Santo Padre deu aos jovens um segundo símbolo de fé para ser levado pelo mundo, acompanhando a Cruz da JMJ: o ícone de Nossa Senhora, Salus Populi Romani, uma cópia contemporânea de um antigo e sagrado ícone encontrado na primeira e maior basílica dedicada à Maria, Mãe de Deus, no ocidente, Santa Maria Maior. Foram celebrados 13 edições da JMJ em várias partes do mundo, e a próxima edição, em 2016, será na terra natal deste papa, na cidade da Cracóvia. Por esse motivo ele é aclamado como o “papa da juventude”.


Sua beatificação se deu em 1º de maio de 2011, o domingo da Divina Misericórdia, pelo seu sucessor, Bento XVI. E sua canonização foi em 24 de maio de 2014, onde, junto com São João XXII, foi elevado à glória dos altares e proclamado santo, pelo Papa Francisco.


Oração a São João Paulo II

Ó São João Paulo, da janela do céu, dá-nos a tua bênção! Abençoa a Igreja, que tu amaste, serviste e guiaste, incentivando-a a caminhar corajosamente pelos caminhos do mundo, para levar Jesus a todos e todos a Jesus! Abençoa os jovens, que também foram tua grande paixão. Ajuda-os a voltar a sonhar, voltar a dirigir o olhar ao alto para encontrar a luz que ilumina os caminhos da vida na terra. Abençoa as famílias, abençoa cada família! Tu percebeste a ação de Satanás contra esta preciosa e indispensável faísca do céu que Deus acendeu sobre a terra. São João Paulo, com a tua intercessão, protege as famílias e cada vida que nasce dentro da família. Roga pelo mundo inteiro, ainda marcado por tensões, guerras e injustiças. Tu te opuseste à guerra, invocando o diálogo e semeando o amor; roga por nós, para que sejamos incansáveis semeadores de paz. Ó São João Paulo, da janela do céu, onde te vemos junto a Maria, faz descer sobre todos nós a bênção de Deus! Amém.

Cardeal Angelo Comastri

Por: Jairo Evaristo Voges.

Catholic Nerds.

 

Fontes: 

pt.wikipédia.org

a12.com

vatican.va

e-biografias.net

noticias.terra.com.br

nossasagradafamilia.com.br

aleteia.org
Compartilhar:

0 comentários:

Postar um comentário